Resgatar sonhos, empoderar e transformar o pensar de mulheres tendo o apoio de uma câmera fotográfica para a construção de novos olhares são os pilares do projeto PhotoPower – Mulheres na Arte, que há cinco anos vai ao encontro daquelas que vivem em situação de vulnerabilidade social, atuando como uma porta de entrada para que recuperem a autoestima diante de experiências traumáticas como a violência doméstica.

Desenvolvido em parceria pela ONG ImageMagica e a produtora social a Semente Produções, o projeto, que viaja o Brasil, aterrissou em Guaratinguetá, interior de São Paulo, em 2021, contemplando 22 participantes escolhidas com o apoio da Secretaria Municipal de Assistência Social.

Utilizando a fotografia como ferramenta e orientadas por duas educadoras, durante dez encontros elas foram apresentadas às questões teóricas e práticas da arte de captar imagens para ampliar o exercício do olhar, uma ação que por si só desperta o potencial criativo e empreendedor, mas que traz um objetivo ainda maior: contribuir para que materializem seus sonhos, tomando a rédea de suas vidas. “O projeto atua como um impulso para que essas mulheres conquistem o que almejam”, comenta Renata Roquetti Saroute, sócia-fundadora da Semente. Segundo ela, a temática trabalhada pelo grupo é livre, o que leva mais conforto, mas o primeiro e fundamental passo para a transformação esperada é o resgate do olhar, quando elas entendem o valor que têm como pessoa. A partir daí, diz Renata, os demais processos como, por exemplo, recuperar a vontade de viver melhor e de fazer coisas, surgem naturalmente.  

Empoderamento feminino

Trazendo na bagagem registros de superação de inúmeras mulheres que, com o poder da arte, transformaram suas vidas, o projeto vem cada vez mais colhendo resultados a partir de histórias de superação e empoderamento feminino.

Fernanda Velloso, uma das participantes da etapa de Guaratinguetá, ilustra bem esse cenário. Ela diz que o projeto fez diferença e vai continuar fazendo a diferença em sua vida “porque eu nunca tinha olhado para dentro”. Mas, segundo ela, isso passou a acontecer naturalmente em virtude das diversas atividades, da possibilidade de dividir sua história com outras mulheres e de conhecer pessoas que passam por inúmeros problemas – troca fundamental para o sucesso da iniciativa.

Ao lado das demais mulheres, Fernanda recebeu o certificado e participou da exposição que sempre encerra as etapas do projeto. O trabalho final, com 228 fotos, foi apresentado no CEU – Centro de Artes e Esportes Unificados Dr. José Aguiar Marins, da Prefeitura de Guaratinguetá.

Um desfecho em grande estilo, digno de fotógrafas talentosas, e acrescido de muitas histórias marcantes de mulheres prontas para o amanhã. Uma realidade que, cá entre nós, rende as melhores fotografias.

A TK Elevator patrocinou a etapa de Guaratinguetá do Projeto como parte das ações de responsabilidade social por meio de leis de incentivo, como a da Cultura, do Esporte, a Funcriança e o Fundo do Idoso. Neste caso, uma ação que vai ao encontro dos pilares sociais da empresa ao permitir que mulheres em situação de vulnerabilidade social e cultural despertem o potencial empreendedor e sejam acolhidas, levando-as ao empoderamento.

Deixe um comentário

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>