Em 21 de maio é celebrado o Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento, data criada em 2002 pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o objetivo de valorizar a importância da diversidade cultural, incentivar o respeito pelo outro, bem como marcar a aprovação pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) da Declaração Universal sobre a Diversidade Cultural.

Segundo o documento, a cultura é o conjunto dos traços de linguagem, intelectuais e afetivos; artes; letras; modos de vida e formas de viver em comunidade; sistemas de valores; tradições; e crenças que caracterizam um grupo social. Diante disso, a cultura é a identidade de uma sociedade, portanto, respeitar a diversidade cultural é um reconhecimento desse patrimônio e um direito dos indivíduos.

Assim, lidar com a diversidade é uma competência intercultural, pois se trata da compreensão e do respeito entre as pessoas nas suas características na sociedade diversa em que vivemos, com pessoas de variadas origens e regiões. Portanto, é importante que os ambientes corporativos, educacionais, esportivos, de saúde, entre outros, tenham políticas e diretrizes voltadas para essa questão.

Algo que está na pauta da TK Elevator, que além de ter uma atuação global, com colaboradores de diferentes culturas em seus quadros de trabalho, possui o Comitê de Diversidade, Equidade e Inclusão, por meio do qual leva conhecimento e contribui com o desenvolvimento das pessoas de suas equipes. O objetivo é prepara-las para a diversidade cultural dentro da organização, bem como para ter empatia para atender e compreender as demandas dos clientes de todo o mundo, dentro das suas diferentes realidades e perspectivas.

“A empresa incentiva um olhar de autoconhecimento e de autoconsciência nos seus colaboradores, para nos desenvolvermos como pessoas e profissionais. Só podemos reconhecer a importância dos nossos clientes, suas diversidades de nacionalidade e de locais, além de enxergar suas necessidades, desde que aprendamos a olhar para nós mesmos, nos reconhecendo nesse universo para poder interagir com pessoas de diferentes culturas”, analisa Jonnathan Octavio Secrieru Boscan, Líder do Pilar Cultural do Comitê de Diversidade, Equidade e Inclusão da TK Elevator.

Pontes para ligar as diferenças

Ou seja, esse autoconhecimento é o caminho para a competência intercultural, pois o indivíduo se conhecendo e se aceitando, vai poder entender e valorizar o próximo.

Para Andrea Sebben, especialista em psicologia intercultural e em educação intercultural e consultora para empresas e pessoas que vão atuar em países com diferentes culturas, essa competência é a arte de construir pontes, que possibilita às pessoas se conectarem umas com as outras. Ou seja, quanto mais houver entre as diferentes culturas, menos barreiras vão existir.

“Uso essa metáfora, pois uma ponte liga dois pontos distantes e preenche um vazio, um local que eu construo e sustento e onde eu posso caminhar para algum lugar e também receber pessoas para conviverem comigo. Isso depende de mim, pois eu preciso me conhecer e me aceitar para aceitar o outro; ter admiração e respeito por mim para ter esse sentimento pelo outro. Essa é a verdadeira ponte e a partir dela outras podem surgir”, explica Andrea.

Segundo a especialista, isso também é reflexo da autoestima, que pode gerar empatia quando está nivelada, mas também preconceitos e discriminações quando está baixa. Desse modo é importante que o indivíduo se olhe sem competições ou comparações com o outro e exalte suas diferenças de forma construtiva e positiva. Para ela, se as pessoas conseguirem ser pontes umas para as outras, não haverá mais espaço para barreiras, exclusões ou temor pelo diferente.

Como consequência, todos poderão vivenciar a diversidade cultural, seja no ambiente corporativo, na localidade onde reside, nas organizações que frequenta ou em uma viagem. “Se queremos lidar com a diversidade cultural, o único caminho é entrar nesse mundo vasto e diferente, onde ao invés de competirmos por verdades individuais, cooperamos cada um com seu ponto de vista. Para viver com a diversidade, precisamos aprender a viver juntos, a conhecer, a fazer e a ser”, conclui Andrea.

O Comitê de Diversidade, Equidade e Inclusão da TK Elevator promove para seus colaboradores debates em datas especiais, como sobre o Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento. O objetivo é contribuir para a construção de uma cultura de respeito às pessoas e de valorização das diferenças nos ambientes internos da empresa e na sociedade.

Deixe um comentário

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>